Diana, a Princesa de Gales que deixou muita sauudades


Diana, a Princesa de Gales

Diana, a Princesa de Gales
Na história recente da humanidade, o “conto de fadas” de tornar-se uma princesa e ser adorada pelo mundo foi certamente vivenciado pela jovem Diana Frances Spencer.
Desde 24 de fevereiro de 1987, quando o Palácio de Buckingham anunciava o noivado do Príncipe Charles com Lady Diana Spencer, sua vida mudou, pois o mundo passou a adorar aquela que representava o sonho de milhares de jovens pelo mundo.
Lady Di, como acabou conhecida, foi e é até hoje, a personalidade da nobreza britânica e quem sabe mundial, mais venerada e admirada por todos.
Lembro como se fosse hoje, quando na noite de domingo, dia 31 de agosto de 1997, uma vinheta da Rede Globo anunciava uma edição extraordinária que anunciava o acidente que levou a morte a princesa Diana e seu namorado, Dodi Al Fayed.
O casal estava em Paris e morreram quando o motorista de seu carro perdeu o controle da direção ao tentar fugir de fotógrafos sensacionalistas, os paparazzi.
A morte de Lady Di provocou comoção em diversos países. Diana, Princesa de Gales, nascida Diana Frances Spencer, foi a primeira esposa de Charles, Príncipe de Gales, filho mais velho e herdeiro da Rainha Elizabeth II.
Seus dois filhos, os príncipes William e Harry, são respectivamente o segundo e o terceiro na linha de sucessão aos tronos do Reino Unido, do Canadá, da Austrália, da Nova Zelândia e de outros 12 países da Commonwealth.
De seu noivado com o Príncipe de Gales até a sua trágica morte, Lady Di era a mulher mais famosa do mundo e uma das figuras mais marcantes do século XX.
Tornou-se um ícone da moda, um ideal de beleza e elegância feminina, admirada por dedicação à caridade e às causas humanitárias, em especial por seu envolvimento no combate à AIDS e na campanha internacional contra as minas terrestres.
Seu sofrimento no casamento e escândalos ao lado do Príncipe Charles vieram à tona logo após sua separação. Entre verdades e mentiras, sabe-se que Diana muito sofreu.
Milhões de pessoas em todo o mundo acompanharam seus funerais em 6 de setembro de 1997.
Diana se foi, mas seu ideal humanitário fica para a história. Num mundo cada vez mais necessitado de bons exemplos e de ídolos reais, Diana deixa uma lacuna até hoje não preenchida.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Os dez melhores livros de Paulo Coelho!

Exposições Guimarães rosa!

História do monge João Maria!